Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 DEZEMBRO Adeal certifica primeira depuradora de ostras de AL
14/12/2018 - 17h10m

Adeal certifica primeira depuradora de ostras de AL

Localizada no município de Coruripe, unidade tem capacidade de beneficiar 400 dúzias por semana e é a única do Nordeste

Adeal certifica primeira depuradora de ostras de AL

Depuradora vai receber ostras vivas de seis criatórios do Estado - Foto Dorgival Junior

Texto de Dorgival Junior

A Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) certificou com o Registro Estadual de Estabelecimento a primeira estação depuradora de moluscos bivalvares (ostras) do Estado. Localizado no povoado Barreiros, no município de Coruripe, o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade – IABS trabalha com o processamento de ostras vivas, tendo capacidade de beneficiar 400 dúzias por semana ou 4.200 unidades.

“É um projeto que tem uma importância econômica muito grande, mas também social já que beneficia comunidades ribeirinhas, ofertando a sociedade um produto depurado com qualidade, seguro e de devidamente certificado”, declarou o presidente da Adeal, Ironaldo Monateiro.

A depuradora tem a matéria-prima oriunda de seis cultivos comunitários de Alagoas, situados nos municípios de Coruripe, no próprio povoado de Barreiras, Barra de São Miguel, Barra de Santo Antonio, Barra de Camaragibe e Roteiro, além de Porto de Pedras. 

O sistema de cultivo nestes criatórios (associações comunitárias) é do tipo “mesa” ou “cama” que são estruturas em PVC instaladas nos estuários de cada região. Neles, as ostras passam de oito a dez meses até atingirem o tamanho comercial médio que é de aproximadamente oito centímetros. 

“Apesar da capacidade instalada, atualmente, a depuradora beneficia, por semana, em média, 15 dúzias ou 1.800 ostras”, afirmou o veterinário responsável pela depuradora, Igor Lima, informando que os moluscos permanecem em tanques com água, onde passam por várias etapas de depuração eliminando os microrganismos patogênicos, por um período de 48 horas.

ostra

“Aqui ainda trabalhamos em modo mesa, que é um modelo artesanal se comparado a Estados como Santa Catarina ou como países, a exemplo da Espanha, onde existem verdadeiras fazendas. Mas Alagoas tem um potencial muito grande”, destacou Bruno Sardeiro, coordenador do Projeto Ostras Depuradas de Alagoas do IABS.

Criado em 2003, o IABS é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). Seu objetivo permanente é contribuir para o bem estar social, o desenvolvimento sustentável e a redução das desigualdades em níveis local, regional, nacional e internacional. 

 
Ações do documento