Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias 2018 MARÇO Adeal inicia sorologia de brucelose
02/04/2018 - 08h20m

Adeal inicia sorologia de brucelose

Inquérito soroepidemiológico da brucelose é executado pelo Governo do Estado, por meio do corpo técnico da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas, em 600 propriedades rurais do Estado

Adeal inicia sorologia de brucelose

Sorologia será realizada em animais (fêmeas) acima de dois anos

texto de Dorgival Junior

Com a meta de coletar quase quatro mil amostras de sangue de bovinos (fêmeas) com idade superior a 24 meses, teve início o inquérito soroepidemiológico da brucelose que está sendo executado pelo corpo técnico da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) em 600 propriedades rurais do Estado.

Com os dados obtidos pela sorologia será criado um plano de ação para o controle e erradicação da brucelose, após se conhecer a prevalência da doença no rebanho de bovídeos do Estado.

Segundo informou a Adeal, a pesquisa deverá ser executada no prazo de até quatro meses com os imóveis rurais escolhidos para participar do inquérito tendo sido selecionados por meio de sorteio.

“Sabemos que a doença existe, tendo sido detectada por meio de exames laboratoriais, mas não sabemos até que ponto está sendo introduzida no Estado. Por este motivo, estamos fazendo este trabalho para que possamos traçar uma estratégia de combate a doença“, declarou o presidente da Adeal, Augusto César Jatoba.

Com este trabalho de investigação, cuja coleta de amostras será realizada em diversos municípios do Estado, também será possível identificar tipos de criação, práticas de manejo e fatores de risco que possam estar associados à presença da brucelose.

“Este estudo sorológico é fundamental para Alagoas possa avançar no controle da brucelose bovina, sendo uma parceria do Governo Federal com o Governo do Estado. Com o inquérito vamos conhecer a dimensão do problema para que a gente possa a distribuição da doença no rebanho alagoano e identificando os fatores de risco que são responsáveis pela disseminação da doença. Com isso, vamos buscar a melhor estratégia em benefício do produtor para que ele possa reduzir ou até mesmo erradicar a brucelose do plantel nos próximos dez anos”, informou Sonia Lages, auditora fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Alagoas.

Segundo informou a Adeal, após ser coletado, o sangue é encaminhado para o laboratório em Maceió (Lapan), onde será centrifugado com o soro sendo enviado para triagem no laboratório do Campus de Viçosa da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Caso haja algum reagente para brucelose, o material será direcionado para análise confirmatória em um dos laboratórios credenciados pelo Mapa.

“Vale ressaltar que a participação dos produtores será de suma importância para o sucesso deste trabalho”, afirmou o assessor executivo de Defesa Agropecuária da Adeal, Ironaldo Monteiro, lembrando que a ação é executada em parceria com a Superintendência Federal da Agricultura em Alagoas (SFA/AL), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e a Universidade de São Paulo (USP).

Para o agropecuarista Antonio Brandão, que teve a propriedade localizada no município de Paulo Jacinto selecionada para participar do processo de sorologia, a investigação sobre a incidência da brucelose é uma medida que pode proporcionar uma maior certificação ao rebanho alagoano.

“Vai auxiliar o produtor rural a oferecer a população um leite de melhor qualidade. A sorologia é vista mais como uma ação de parceria e não como um problema para as propriedades que foram sorteadas. Ao termino deste inquérito, teremos um retrato da brucelose em Alagoas, podendo intensificar ainda mais o controle da doença. Quem sai ganhando é o produtor e o consumidor final. Por isso, é importante que os proprietários rurais abram as portas para que a Adeal faça este trabalho de campo porque ele será uma espécie de certificação da pecuária alagoana”, destacou o criador.

Brucelose

A brucelose é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Brucella abortus que acomete os bovídeos, ovinos, caprinos, suínos e até o homem.  A doença causa grandes prejuízos a exploração pecuária já que os animais acometidos podem abortar com frequência nos últimos meses de gestação, redução da fertilidade e produção de crias geralmente mais fracas, além da queda na produção de leite. Os machos apresentam inflamação testicular, podendo levar a esterilidade.

A brucelose é uma zoonose que pode ser transmitida ao homem, causando sérios problemas de saúde. A transmissão pode acontecer durante o manejo de animais doentes, contato com restos placentários e/ou fetos de animais portadores da doença e ingestão de leite cru.

Neste trabalho de campo, a Adeal contará com o apoio da Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri); Associação dos Criadores de Alagoas (ACA) e da Federação da Agricultura e Pecuária no Estado de Alagoas (Faeal).

 
Ações do documento

vacinacao-aftosa-2017.jpg

adeal-manual.jpg

link sidagro produtor (2).jpg

imagem manual-produtor.jpg

Apoio