Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Adeal oferece serviço à população e passa a receber pacotes de sementes asiáticas
07/10/2020 - 12h20m

Adeal oferece serviço à população e passa a receber pacotes de sementes asiáticas

Agência de defesa coloca todas as unidades locais e escritórios de atendimento à comunidade como ponto de recebimento das sementes

Adeal oferece serviço à população e passa a receber pacotes de sementes asiáticas

Texto de Dorgival Junior

Diante do crescente número de casos de recebimento de sementes não solicitadas provenientes de países asiáticos, a Adeal, órgão vinculado a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri), orienta a população a entregar os pacotes nos escritórios do órgão de defesa estadual situados nos municípios alagoanos.

A Adeal conta com 15 Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAV), além de 69 Escritórios de Atendimento à Comunidade (EAC) que estão aptos ao recebimento das embalagens com as sementes no interior do Estado para o devido recolhimento e remessa para a Superintendência Federal da Agricultura em Alagoas (SFA/AL), localizada em Maceió.

“Orientamos a população alagoana para que não abra os pacotes e não tente manipular as sementes que podem oferecer riscos fitossanitários a nossa agricultura. Após as embalagens serem entregues nos escritórios da Adeal, elas serão acondicionadas em caixas, lacradas e enviadas para a sede da SFA/AL, sendo encaminhadas para análises no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (FDA) de Goiânia”, alertou o presidente da Adeal, Isaac Albuquerque.

O trabalho de recebimento das sementes, que transformou os escritórios de Adeal em ponto de recebimento estratégicos em Alagoas, é uma ação conjunta desenvolvida em parceria com o SFA/AL que é o órgão federal responsável pelo recebimento dos pacotes no Estado.

Casos das sementes, que vêm sendo distribuídas de forma irregular, foram registrados na maioria dos Estados brasileiros. O Ministério da Agricultura identificou nas amostras recolhidas a já analisadas a presença de fungos, bactérias e ácaro. 

 
Ações do documento