Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Adeal retira de circulação mais de 100 kg de agrotóxicos comercializados de maneira ilegal em Junqueiro
06/08/2019 - 14h27m

Adeal retira de circulação mais de 100 kg de agrotóxicos comercializados de maneira ilegal em Junqueiro

Substâncias fracionadas em garrafas vazias de refrigerante também foram encontradas no local.

Adeal retira de circulação mais de 100 kg de agrotóxicos comercializados de maneira ilegal em Junqueiro

112 kg de agrotóxicos foram retirados de circulação. Foto: Ascom Adeal.

Texto de Paula Nunes

 

Fiscais do Núcleo de Agrotóxicos da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária (Adeal) apreenderam 112 kg de produtos agrotóxicos, que estariam sendo comercializados de maneira ilegal aos produtores rurais do povoado Camadanta, em Junheiro, no interior do estado. Eles encontraram os produtos após uma denúncia anônima feita através dos canais de comunicação da Agência Agropecuária com a população alagoana.

Além da irregularidade, no local, também foram encontradas substâncias fracionadas em garrafas vazias de refrigerante, que só podem ser tratados com protocolos de segurança. 

De acordo com Paulo Melo, chefe do Núcleo de Agrotóxicos do órgão, os produtos foram lacrados e apreendidos para segurança da população, pois os malefícios que um produto irregular pode causa na população, são desconhecidos.   

“Fizemos a interdição após a denúncia. Os produtos agrotóxicos estavam sendo comercializados aos agricultores da localidade, sem os devidos protocolos de segurança, o que colocam em risco a vida da população”, explicou Paulo Melo.

A Adeal lavrou dois auto de infração pela venda clandestina de agrotóxicos, e o proprietário do estabelecimento foi notificado. Os produtos foram lacrados e retirados de circulação.

O diretor-presidente do órgão, Carlos Mendonça Neto, garantiu que a Adeal está fazendo a parte dela, fiscalizando diariamente todos os estabelecimentos que revendem os produtos, para a segurança da população. “Estamos presentes para um segurança agropecuária mais forte. Estamos preocupados com a segurança da população, então é de extrema importância que denúncias sejam feitas, pois ajudam nosso trabalho”, destacou.

Ações do documento