Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Análise detecta pragas quarentenárias em sementes asiáticas não solicitadas
26/11/2020 - 11h48m

Análise detecta pragas quarentenárias em sementes asiáticas não solicitadas

Informação foi divulgada pelo Ministério da Agricultura; Adeal alerta população para que não abra envelopes e que eles sejam entregues nos escritórios do órgão estadual de defesa agropecuária mais próximo

Análise detecta pragas quarentenárias em sementes asiáticas não solicitadas

Texto de Dorgival Junior

O Ministério da Agricultura divulgou que as análises das sementes de origem asiáticas, não solicitadas e que foram enviadas para vários Estados brasileiros, detectaram a presença de pragas quarentenárias ausentes no país. 

“Estas pragas têm grande potencial de causar danos econômicos ao Brasil. É necessário que a população fique ainda mais atenta as nossas orientações. Se receber algum envelope, entregue-o na unidade da Adeal mais próxima”, afirmou Maria José Rufino, gerente do Núcleo de Defesa Vegetal da Adeal, órgão vinculado a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura.

Desde que as sementes asiáticas, não solicitadas, começaram a chegar ao Brasil, um único pacote foi entregue na unidade da Adeal, em São Luiz do Quitunde, sendo repassado, posteriormente, para a tutela do Ministério da Agricultura para a devida análise e destinação final correta.

De acordo com Maria Rufino, para que sementes procedentes de outros países entrem no Brasil, é necessária uma autorização do Ministério da Agricultura. “Existem exigências fitossanitárias a serem cumpridas que constam na legislação. A Instrução Normativa (IN) número 23 de 2004 estabelece categorias de riscos fitossanitários. Estas sementes estão classificadas na categoria de nível quatro”, alertou a gerente da Adeal.

Segundo ela, mesmo as compras realizadas via internet, não devem ser efetuadas se os interessados não tenham conhecimento da legislação que orienta como proceder para adquirir de forma correta as sementes. “As pessoas precisam ter a consciência que basta apenas uma semente, adquirida fora dos meios legais, para que ela cause danos econômicos para o Estado”, declarou Maria Rufino.

A gerente orienta a população que as sementes e as embalagens não devem ser descartadas e sim entregues a Adeal pelos risos que oferecem a agricultura e ao meio ambiente. “O material deve ser entregue nos escritórios da Adeal. Caso alguém tenha plantado tais sementes, que informe a Adeal para que os ficais possam se dirigir até o local para fazer o recolhimento”, finalizou.

 

 
Ações do documento