Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Febre Aftosa: segunda etapa da campanha de vacinação chega à reta final em Alagoas
22/11/2019 - 12h29m

Febre Aftosa: segunda etapa da campanha de vacinação chega à reta final em Alagoas

Imunização segue até o dia 30 de novembro; após a vacinação, criador tem até 15 dias para declarar junto à Adeal.

Febre Aftosa: segunda etapa da campanha de vacinação chega à reta final em Alagoas

O criador tem até 15 dias para declarar a vacinação, após o término da campanha. Foto: Ascom Adeal.

Texto de Paula Nunes

 

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa chegou na reta final. A Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) alerta sobre a importância da imunização de todos os bubalinos e bovinos de até 24 meses de idade, reforçando os prazos da vacinação, que termina no próximo sábado (30). 

O produtor pode procurar as vacinas nas revendas agropecuárias certificadas pela Adeal, e após a vacinação é necessário comprovar o procedimento em qualquer escritório do órgão.

“Caso o criador não vacine os animais de até 24 meses dentro do prazo ou não declare sua vacinação, a legislação prevê multa. Não adianta só vacinar, ele precisa declarar junto à Adeal que efetivamente vacinou seu rebanho, até 15 dias após o término da campanha”, é o que explica o presidente do órgão, Carlos Mendonça Neto.

O processo da imunização e a declaração são fundamentais para a comercialização de produtos como carne e leite, e também, para a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que autoriza o produtor a circular com seus animais. A declaração de vacinação e a atualização do rebanho existente deverão ser efetivadas pessoalmente, até o dia 15 de dezembro de 2019. Este documento poderá ser entregue, juntamente com a nota fiscal de compra da vacina, em um de nossos escritórios de atendimento.

A vacinação faz parte do processo de prevenção da reintrodução do vírus da Febre Aftosa no rebanho brasileiro, por isso sua importância para a manutenção do nosso status de livre da doença e evolução para a futura retirada da vacina. A expectativa é de que aproximadamente 500 mil bovinos e bubalinos, de 0 a 24 meses, sejam imunizados em Alagoas durante a segunda etapa da campanha.

Carlos Mendonça garante que a Adeal fará a busca dos inadimplentes, após o término do período de vacinação. Segundo ele, o sistema irá acusar todos aqueles cadastrados e que não declararam a imunização do rebanho. “Iremos em busca dos criadores para saber o motivo de comprovar a vacinação”, disse o presidente da Adeal, incentivando a vacinação dos animais até dois anos de idade, nesta etapa.

“Os animais jovens podem adoecer mais facilmente, pois ainda não têm a proteção necessária. Por isso, é fundamental que os bezerros, mesmo os recém-nascidos, também sejam vacinados para que fiquem protegidos e não corram risco de contrair a doença”, destacou Carlos Mendonça.

Desde 1999 o estado de Alagoas não tem caso da febre aftosa, o último foi registrado no município de Penedo. As campanhas de vacinação são importantes para manter o controle da doença, e esse processo de vacinação e declaração também garante benefícios aos produtores rurais.

Este ano, a vacina contra a febre aftosa teve sua dose reduzida de 5 ml para 2 ml, desde a primeira etapa, em maio deste ano, ajudando a reduzir edemas e lesões no local da aplicação. 

O produtor deverá adquirir as vacinas em uma revendedora autorizada ou loja de produtos agropecuários, devidamente cadastrada na Adeal. O objetivo é aumentar abrangência da zona Livre de Febre Aftosa no Estado e em todo país, sem vacinação. A meta é que a partir do ano 2021 não precise mais vacinar, e este é um compromisso junto ao produtor, buscando a valorização da carne, juntos aos mercados mais exigentes.

O Governo do Estado, através da Adeal, está trabalhando junto ao criador alagoano para que este ano, a vacinação contra aftosa seja um grande sucesso. “Todos têm que fazer a sua parte para que Alagoas possa avançar ainda mais na luta contra a aftosa”, ressaltou o presidente da Agência de Defesa Agropecuária de Alagoas.

Febre Aftosa

Um foco da doença traz muito prejuízo econômico tanto para o estado, quanto para o país, pois ficamos impedidos de comercializar com outros países. Então, é importante que todos vacinem o rebanho, independente do tamanho, comprove e mostre.

Brucelose

Todos os produtores com equídeos no rebanho, também devem atualizar o seu cadastro junto à Defesa Agropecuária. É obrigatório vacinar bezerras entre três e oito meses de idade, contra brucelose.

Ações do documento