Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Fiscalização é intensificada para evitar ingresso da Peste Suína Clássica em Alagoas
29/04/2019 - 16h00m

Fiscalização é intensificada para evitar ingresso da Peste Suína Clássica em Alagoas

Portaria publicada na semana passada proíbe o trânsito interestadual de suídeos oriundos do Ceará e Piauí.

Fiscalização é intensificada para evitar ingresso da Peste Suína Clássica em Alagoas

Adeal intensificou fiscalizações para evitar a entrada da doença em Alagoas. Foto: Ascom Adeal

Texto de Paula Nunes

 

Para combater a entrada da Peste Suína Clássica em Alagoas, a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) está intensificando as fiscalizações moveis de trânsito nas rodovias de todo estado. Na semana passada, foi publicada uma portaria que proíbe, por tempo indeterminado, o trânsito interestadual de suídeos provenientes dos estados com foco declarado da Peste Suína Clássica, após o foco da doença ser declarado nos estados do Piauí e Ceará.

Em diversos turnos, os fiscais agropecuários fiscalizam os veículos, pois também está proibido o trânsito de produtos derivados, além de subprodutos, exceto quando de procedência de estabelecimentos certificados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Durante todo o final de semana, diversos municípios receberam as fiscalizações de trânsito animal. Em Viçosa, na AL 440, foram lavrados dois auto de infração por estarem transitando sem documentação sanitária; um veículo estava transitando com aves e o outro com suíno. Não foram encontrados animais com suspeitas da Peste Suína Clássica.

Maribondo também recebeu a blitz de trânsito da Adeal, na BR 316, vários veículos foram parados e vistoriados, além de duas atuações por estarem transitando animais sem a Guia de Trânsito Animal (GTA). Um deles estava transportando carga irregular e precisou voltar a cidade de origem, em Pernambuco. De acordo com a legislação estadual, os veículos encontrados em situação irregular foram devolvidos aos locais de origem com a presença dos técnicos da Agência.

As fiscalizações de trânsito foram compostas por técnicos da Adeal, médicos veterinários e agrônomos. 

Para o diretor-presidente da Adeal, Carlos Mendonça Neto, as ações de fiscalizações foram intensificadas para evitar o ingresso da doença em Alagoas. “A vigilância agropecuária é de suma importância para proteger o rebanho alagoano”, ressaltou.

A portaria

Ficou estabelecido que os suínos procedentes do Ceará e Piauí com foco comprovado da doença, quando flagrados pela fiscalização sem a devida documentação sanitária, serão sacrificados. Bem como produtos e subprodutos de origem animal, e materiais biológicos serão apreendidos e destruídos pelo serviço oficial, sem que haja indenização ao proprietário.

Na mesma portaria, a Adeal designa medidas profiláticas que devem ser adotadas em todas as Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal distribuídas no estado. São elas, a vigilância ativa mais intensa, a notificação obrigatória das propriedades suspeitas, o atendimento imediato ao foco notificado, o controle do trânsito de suídeos, sendo estes suínos, javalis e javaporcos, e seus produtos, além da destruição de animais positivos para a doença e inquéritos epidemiológicos para delineamento de zonas livres.

 

Ações do documento