Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sanidade Animal Brucelose

Brucelose

Programa Estadual de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose Bovina e Bubalina - PECEBT

Responsáveis: Hedivardo Otoni da Costa e Luiz André Rodrigues de Lima

Finalidade

Ø  Reduzir a prevalência e a incidência destas doenças

Ø  Certificar propriedades LIVRES ou MONITORADAS

Princípios de atuação

Ø  Vacinação obrigatória das bezerras de 03 a 08 meses de idade

Ø  Controle do trânsito INTER e INTRAESTADUAL de animais

Ø  Certificação de propriedades LIVRES ou MONITORADAS

Vacinação Obrigatória

Ø  Fêmeas de bovinos e bubalinos entre 3 - 8 meses de idade

Ø  Marcação obrigatória – ("V" seguido do último algarismo do ano de vacinação no, lado esquerdo da cara)

Ø  Responsabilidade técnica de Médico Veterinário cadastrado na ADEAL

Ø  Vacina viva liofilizada – Brucella abortus B19

Controle de Trânsito

Ø  Emissão Guia de Trânsito Animal (GTA)

Ø  A partir de janeiro de 2015 a emissão de GTA, para qualquer que seja a finalidade do trânsito dos animais, fica condicionada à regularidade da vacinação das bezerras contra brucelose na exploração pecuária da origem.

 

TRÂNSITO

BRUCELOSE

Interestadual
(Reprodução)

- No caso de trânsito de fêmeas entre 3 (três) e 8 (oito) meses de idade, as mesmas deverão estar vacinadas (comprovação da vacinação por meio de atestado emitido por médico veterinário cadastrado na AGRODEFESA e apresentado na UOL). No trânsito de animais de elite, o atestado deverá acompanha a GTA;
- Exame negativo (efetuado, no máximo 60 (sessenta) dias antes da movimentação);
- Fêmeas vacinadas e com idade superior a 24 meses;
- Fêmeas não vacinadas com idade superior a 8 meses;
- machos destinados a reprodução com idade superior a 8 meses.

Intra Estadual

- No caso de trânsito de fêmeas entre 3 (três) e 8 (oito) meses de idade, as mesmas deverão estar vacinadas (comprovação da vacinação por meio de atestado emitido por médico veterinário cadastrado na AGRODEFESA e apresentado na UOL). No trânsito de animais de elite, o atestado deverá acompanha a GTA;

Intra Estadual
(Finalidade Reprodução)

- No caso de trânsito de fêmeas entre 3 (três) e 8 (oito) meses de idade, as mesmas deverão estar vacinadas (comprovação da vacinação por meio de atestado emitido por médico veterinário cadastrado na AGRODEFESA e apresentado na UOL). No trânsito de animais de elite, o atestado deverá acompanha a GTA;
- Exame negativo (efetuado, no máximo 60 (sessenta) dias antes da movimentação);
- Fêmeas vacinadas e com idade superior a 24 meses;
- Fêmeas não vacinadas com idade superior a 8 meses;
- machos destinados a reprodução com idade superior a 8 meses.

Participação em Exposições, Feiras, Leilões e outras Aglomerações

- No caso de trânsito de fêmeas entre 3 (três) e 8 (oito) meses de idade, as mesmas deverão estar vacinadas (comprovação da vacinação por meio de atestado emitido por médico veterinário cadastrado na AGRODEFESA e apresentado na UOL). No trânsito de animais de elite, o atestado deverá acompanha a GTA;
- Exame negativo (efetuado, no máximo 60 (sessenta) dias, cuja validade deverá cobrir todo período do evento;
- Fêmeas vacinadas e com idade superior a 24 meses;
- Fêmeas não vacinadas com idade superior a 8 meses;
- machos destinados a reprodução com idade superior a 8 meses.

Animais de rebanho geral, destinados a participação em leilões ficam dispensados de apresentação do exame negativo para Brucelose e Tuberculose.

 

]

TRÂNSITO

TUBERCULOSE

Interestadual
(Reprodução)

- Exame negativo - machos e fêmeas a partir de 6 semanas de idade

- Exame negativo com validade de 60 (sessenta) dias, sendo que a validade do exame deve cobrir todo o período do evento

Intra Estadual
(Reprodução)

Participação em Exposições, Feiras, Leilões e outras Aglomerações

Animais de rebanho geral, destinados a participação em leilões ficam dispensados de apresentação do exame negativo para Brucelose e Tuberculose.















Certificação de Propriedades Livres para Brucelose e Tuberculose

Ø  Adesão voluntária e válida por 12 meses

Ø  Emitida pela Superintendência Federal de Agricultura em Alagoas

Ø  Receber animais procedentes somente de propriedades livres ou realizar dois testes de diagnóstico

Ø  Supervisão técnica de Veterinário habilitado

Certificação de Propriedades Monitoradas para Brucelose e Tuberculose

Ø  Adesão voluntária e válida por 12 meses

Ø  Emitido pela Superintendência Federal de Agricultura em Alagoas

Ø  Realizar testes de diagnóstico para Brucelose e Tuberculose por amostragem

Ø  Restrita a estabelecimentos de pecuária de corte

Ø  Supervisão técnica de Veterinário habilitado

Métodos de Diagnóstico

Ø  Brucelose

v  Teste do Antígeno Acidificado Tamponado (AAT) - Rotina

v  Teste do 2-Mercaptoetanol (2-ME) - Confirmatório

Ø  Turbeculose

v  Teste Cervical Simples (TCS) - Rotina

v  Teste da Prega Caudal (TPC) - Rotina (exclusivo na criação de corte)

v  Teste Cervical Comparativo(TCC) - Confirmatório (animais inconclusivo ao TCS e reagentes ao TCP)

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL

Legislação

Data

Objeto

Instrução Normativa
SDA nº 06 MAPA

08/01/2004

Institui o Regulamento Técnico do PNCEB

Instrução Normativa
SDA nº 30 MAPA

07/06/2006

Regulamenta as normas para habilitação de médicos veterinários do setor privado para atuação junto ao PNCEBT

Instrução Normativa
nº 033 MAPA

24/08/2007

Estabelece as condições para a vacinação de fêmeas bovinas contra brucelose, utilizando vacina não indutora de anticorpos aglutinantes amostra RB51
















































Cadastramento de Médicos Veterinários e auxiliares ao PECEBT

Ø  Orientações para Cadastro

Ø  Modelo de Carimbo

Médicos Veterinários Cadastrados na ADEAL 

Lista do médicos veterinários autorizados a vacinar contra Brucelose

 

Ações do documento

vacinacao-aftosa-2017.jpg

link sidagro produtor (2).jpg

imagem manual-produtor.jpg

Apoio